quarta-feira, 21 de novembro de 2012

1 João 3. 11 – A respeito do amor ao próximo

João, nesta passagem, está aconselhando aos crentes da Asia Menor a respeito de como poderiam reconhecer, ou ainda praticar, o ensinamento verdadeiro da palavra de Deus. Parece contraditório falar assim, mas a igreja naquele momento sofria, tenazmente, com o ataque de falsos mestres – e, consequentemente, suas falsas doutrinas. Nesse sentido, a carta de João, dentre muitos ensinamentos, também faz algumas recomendações a respeito de como os fieis daquela época poderiam reconhecer os verdadeiros filhos de Deus. A saber, aqueles que levassem, efetivamente em prática, o amor aos demais irmãos, além de viverem, pessoalmente, o cumprimento desse mandamento.

Sendo assim, o apóstolo João deixa claro que o ensinamento a respeito do amor ao próximo não é nenhuma novidade. Ele se faz presente desde o princípio da aliança de Deus com o povo  e, principalmente, nos dez mandamentos (Ex. 20. 12-17). Dessa forma, o versículo retoma os princípios já estabelecidos no Velho Testamento e exorta a todos os verdadeiros fieis que permaneçam nessa prática, já que ele é um mandamento reafirmado por Jesus como um dos principais. Assim, o versículo, também pode ser entendido como uma recomendação pessoal. Se fizéssemos, a título de curiosidade, uma comparação do versículo 11 da carta de João, com os Dez Mandamentos, chegaríamos a uma divisão metodológica que pode ser percebida na estrutura do texto de Êxodo 20. 3-17. Os primeiros 4 mandamentos dizem respeito ao amor a Deus e os outros 6 ao amor ao próximo – que é o tema de nosso versículo, veja:

Mandamentos a respeito do amor a Deus

1. Não terás outros deuses diante de mim (Ex 20.3).
2. Não farás para ti imagem de escultura (Ex 20.4a).
3. Não tomarás o nome do SENHOR, teu Deus, em vão (Ex 20.7a).
4. Lembra-te do dia de sábado, para o santificar (Ex 20.8).


Mandamentos a respeito do amor ao próximo

5. Honra teu pai e tua mãe (Ex 20.12).
6. Não matarás (Ex 20.13).
7. Não adulterarás (Ex 20.14).
8. Não furtarás (Ex 20.15).
9. Não dirás falso testemunho contra o teu próximo (Ex 20.16).
10 Não cobiçarás a casa do teu próximo (Ex 20.17a).


Não é por nada que, depois de muitos anos, já no Novo Testamento, Jesus, ao ser inquirido pelos fariseus a respeito de qual seria o grande mandamento, respondeu: 
Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas (Mateus 22.37-40).


Jesus resumiu em dois mandamentos os fundamentos básicos do evangelho, a saber, o amor a Deus e o amor ao próximo. E o mais interessante a ser notado é que a prática de um desses mandamentos requer, também, a prática do outro! Ou seja, aquele que ama verdadeiramente a Deus, consequentemente, procura cumprir os mandados Dele e, por conseguinte, amará o seu próximo por amor a Ele. De modo que seria impossível que um cristão afirmasse que ama a Deus, sem que consiga amar este, ou aquele irmão. Por essa razão somos indesculpáveis quando deixamos de amar ao nosso próximo. Deus nos ajude e nos dê, a cada dia mais e mais amor a Ele e, também, ao nosso próximo.

Macanudo # – Liniers


"Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê" (1João 4.20).
"Nisto conhecemos que amamos os filhos de Deus: quando amamos a Deus e praticamos os seus mandamentos" (1João 5.2).

2 comentários:

  1. Muito obrigado por dividir está preciosidade. Um grande abraço, Elias.

    ResponderExcluir
  2. Que isso! Eu é que agradeço a sua apreciação... :)

    Um abraço, Elias!

    ResponderExcluir